Início Novo CPC SUSPENSÃO DE PRAZO PARA ADVOGADAS GESTANTES NO NOVO CPC

SUSPENSÃO DE PRAZO PARA ADVOGADAS GESTANTES NO NOVO CPC

0
Publicidade

ALTERAÇÃO NO NOVO CPC: SUSPENSÃO DE PRAZO PARA ADVOGADAS GESTANTES, LACTANTES E ADOTANTES.

Lei 13.105 de 16 de março de 2015.

O Novo CPC no dia 28 de novembro de 2016 sofreu mais uma alteração, desta vez a reforma foi para garantir alguns direitos mais que devidos às advogadas gestantes e adotantes.

O Novo CPC foi alterado em seu artigo 313 pela Lei nº 13.363\2016 que passou a assegurar às advogadas, após o parto ou adoção, que o prazo de suspensão do processo de 30 (trinta) dias, quando elas forem às únicas patrocinadoras da causa. Contudo, se houver mais procuradores na causa o prazo não será suspenso.

A nova lei também previu a suspensão do processo no prazo de 08 (oito) dias para os advogados que se tornarem pai ou adotante e forem os únicos procuradores da causa.

Para requerer a suspensão do processo o advogado ou advogada deverá apresentar a certidão de nascimento ou documento similar que comprove a realização do parto, ou o termo judicial que tenha concedido a adoção.

Exige-se ainda que advogado (a) notifique o cliente acerca do pedido de suspensão do processo.

O prazo de suspensão será contado a partir da apresentação dos documentos elencados acima.

Art. 313.  Suspende-se o processo:

(…)

IX – pelo parto ou pela concessão de adoção, quando a advogada responsável pelo processo constituir a única patrona da causa;       

X – quando o advogado responsável pelo processo constituir o único patrono da causa e tornar-se pai;

(…)

§ 6o  No caso do inciso IX, o período de suspensão será de 30 (trinta) dias, contado a partir da data do parto ou da concessão da adoção, mediante apresentação de certidão de nascimento ou documento similar que comprove a realização do parto, ou de termo judicial que tenha concedido a adoção, desde que haja notificação ao cliente.

§7oNo caso do inciso X, o período de suspensão será de 8 (oito) dias, contado a partir da data do parto ou da concessão da adoção, mediante apresentação de certidão de nascimento ou documento similar que comprove a realização do parto, ou de termo judicial que tenha concedido a adoção, desde que haja notificação ao cliente.

Publicidade
COMPARTILHAR

ENVIAR COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.